Melhores Filmes Vistos em 2017

Junho/Julho

Antigos
1) Frankenstein (James Whale, 1931)
2) Kirikou and the Sorceress (Michel Ocelot, Raymond Burlet, 1998)
3) Benilde ou a Virgem Mãe (Manoel de Oliveira, 1975)
4) Aniki Bóbó (Manoel de Oliveira, 1942)
5) The Departure (Jerzy Skolimowski, 1967)
6) Iguana (Monte Hellman, 1988)
7) Born in Flames (Lizzie Borden, 1983)
8) O Sol Brilha na Imensidão (John Ford, 1953)
9) O Sol de Marmelo (Victor Erice, 1992)
10) A Cena do Crime (André Techiné, 1986)
11) Rendez-vous (André Techiné, 1985)
12) Dois Córregos (Carlos Reichenbach, 1999)
13) História de Taipei (Edward Yang, 1985)
14) Paris is Burning (Jennie Livingston, 1990)
15) Away with Words (Christopher Doyle, 1999)
16) Eraserhead (David Lynch, 1977)
17) I Don’t Want to Sleep Alone (Tsai Ming-Liang, 2006)
18) A Filha do Nilo (Hou Hsiao-Hsien, 1987)
19) Inspecteur Lavardin (Claude Chabrol, 1986)
20) Meus Vizinhos São um Terror (Joe Dante, 1989)
21) Tabloid (Errol Morris, 2010)
22) Um Rei em Nova York (Charlie Chaplin, 1957)
23) Fellini: I’m a Born Liar (Damian Pettigrew, 2003)
24) Os Invasores de Marte (William Cameron Menzies, 1953)
25) Patti Smith: Dream of Life (Steven Sebring, 2008)

Recentes
1) Kaili Blues (Gan Bi, 2015) ****1/2
2) As Mil e Uma Noites: Volume 2, O Desolado (Miguel Gomes, 2015) ****
3) What We Do in the Shadows (Jemaine Clement, Taika Waititi, 2014) ***

Revisões
1) Síndromes e um Século (Apichatpong Weerasethakul, 2006) *****
2) Cosmópolis (David Cronenberg, 2012) ****1/2
3) Deus da Carnificina (Roman Polanski, 2011) ****
4) Miami Vice (Michael Mann, 2006) ***1/2

_____________

Abril / Maio 

Em ordem de preferência

(R) = Revisões

Recentes

Um Toque de Pecado (Jia Zhang-ke, 2013)
O Ornitólogo (João Pedro Rodrigues, 2016) (R)
Depois da Tempestade (Hirokazu Koreeda, 2016)
O Filho de Joseph (Eugène Green, 2016)
Paterson (Jim Jarmusch, 2016)
Post Tenebras Lux (Carlos Reygadas, 2012)
O Silêncio do Céu (Marco Dutra, 2016)
Personal Shopper (Olivier Assayas, 2016)
As Mil e Uma Noites: Volume 1, O Inquieto (Miguel Gomes, 2015)
The End of the Tour (James Ponsoldt, 2015)
Poesia Sem Fim (Alejandro Jodorowsky, 2016)
Port of Call (Philip Yung, 2015)
The Dreamed Ones (Ruth Beckermann, 2016)
Hardcore Henry (Ilya Naishuller, 2015)
A Grande Muralha (Zhang Yimou, 2016)
Aloys (Tobias Nölle, 2016)
Noah (Darren Aronofsky, 2014)
Terms and Conditions May Apply (Cullen Hoback, 2013)

Antigos

2001: Uma Odisséia no Espaço (Stanley Kubrick, 1968) (R)
They Live (John Carpenter, 1987) (R)
Le Bonheur (Agnès Varda, 1965)
Daisy Kenyon (Otto Preminger, 1947)
Affliction (Paul Schrader, 1997)
Rien ne va Plus (Claude Chabrol, 1997)
Lady in the Water (M. Night. Shyamalan, 2006)
Identificação de uma Mulher (Michelangelo Antonioni, 1982) (R)
Looker (Michael Crichton, 1981)
Lost Horizon (Frank Capra, 1937)
The Aviator (Martin Scorsese, 2004)
Jurassic Park (Steven Spielberg, 1993) (R)
Special Effects (Larry Cohen, 1984)
Choose Me (Alan Rudolph, 1984)
Santa Sangre (Alejandro Jodorowsky, 1989)

_______

Março

Recentes
1. Nocturama (Bertrand Bonello, 2016)
2. O Auge do Humano (Eduardo Williams, 2016)
3. O Ornitólogo (João Pedro Rodrigues, 2016)
4. O Estranho Caso de Ezequiel (Guto Parente, 2015)
5. Allied (Robert Zemeckis, 2016)
6. Garoto (Júlio Bressane, 2015)
7. Funérailles (de l’Art de mourir) – (Boris Lehman, 2016)
8. Staying Vertical (Alain Guiraudie, 2016)
9. Cinema Novo (Eryk Rocha, 2016)
10. Little Men (Ira Sachs, 2016)

Antigos
1. Othello (Orson Welles, 1951)
2. Paisà (Roberto Rossellini, 1946)
3. The Hitcher (Robert Harmon, 1986)
4. The Last Seduction (John Dahl, 1994)
5. Exotica (Atom Egoyan, 1994)
6. Miracle Mile (Steve De Jarnatt, 1988)
7. À ma soeur! (Catherine Breillat, 2001)
8. Edge of Tomorrow (3D) (Doug Liman, 2014)
9. Deep Cover (Bill Duke, 1992)
10. Noites Paraguayas (Aloysio Raulino, 1982)
11. Feu Mathias Pascal (Marcel L’Herbier, 1926)
12. Pompeii (Paul W. S. Anderson, 2014)
13. O Som da Terra a Tremer (Rita Azevedo Gomes, 1990)
14. Dredd (3D) (Pete Travis, 2012)
15. Figures in a Landscape (Joseph Losey, 1970)

Revistos
1. The Walk (3D) (Robert Zemeckis, 2015)
2. Subybaya (Leo Pyrata, 2017)
3. A Vingança de Uma Mulher (Rita Azevedo Gomes, 2012)

___________________

Janeiro/Fevereiro

Recentes:
1. Homo sapiens (Nikolaus Geyrhalter, 2016)
2. Francofonia (Alexander Sokurov, 2015)
3. Non Essere Cattivo (Claudio Caligari, 2015)
4. Cameraperson (Kirsten Johnson, 2016)
5. Love & Peace (Sion Sono, 2015)
6. Manchester by the Sea (Kenneth Lonergan, 2016)
7. Baronesa (Juliana Antunes, 2017)
8. The Wailing (Na Hong-jin, 2016)
9. Murmur of the Hearts (Sylvia Chang, 2015)
10. I, Daniel Blake (Ken Loach, 2016)
11. Arrival (Denis Villeneuve, 2016)
12. Le Fils de Joseph (Eugène Green, 2016)
13. Mate-me Por Favor (Anita Rocha da Silveira, 2015)
14. La Tortue Rouge (Michael Dudok de Wit, 2016)
15. The Death of Louis XIV (Albert Serra, 2016)
16. Eu não Sou Daqui (Luiz Felipe Fernandes e Alexandre Baxter, 2016)
17. A Man Called Ove (Hannes Holm, 2015)
18. Subybaya (Leo Pyrata, 2017)
19. Guerra do Paraguay (Luis Rosemberg Filho, 2016)
20. Moonlight (Barry Jenkins, 2016)

Antigos:
1. A Bittersweet Life (Kim Jee-woon, 2005)
2. The Century of the Self (Adam Curtis, 2002)
3. Crônica de um Industrial (Luis Rosemberg Filho, 1978)
4. India Song (Marguerite Duras, 1975)
5. Tout Va Bien (Jean-Luc Godard, 1972)

Revisões:
1. Battle Royale (Kinji Fukasaku, 2000)
2. In the Mood for Love (Wong Kar-Wai, 2000)
3. Maps to the Stars (David Cronenberg, 2014)
4. A Cidade Onde Envelheço (Marília Rocha, 2016)
5. All About My Mother (Pedro Almodóvar, 1999)

Anúncios

4 comentários

  1. Olá Guilherme,
    Cheguei ao seu blog por acaso, procurando as listas da cahiers du cinema (que aliás estão mais completas aqui que em qualquer outro site) e aos poucos fui explorando o resto do conteúdo. Não sei se a essa altura o blog se tornou mais um registro pessoal seu do que algo público (por causa de posts como esse haha), mas a verdade é que aqui tem conteúdo de primeira! Sem falar que você tem um ótimo gosto cinematográfico e musical, julgando pelo que você tem postado. Seus vídeos também me interessaram muito, você faz/fez cinema? Enfim, estava tão animado com o blog e com o que achei aqui que resolvi falar com você diretamente. Parabéns!
    abraços

    1. Caro Vicente,
      Fico muito feliz com seu comentário, obrigado pelos elogios.
      Talvez seja a falta de feedbacks como esse me dá a liberdade de fazer do blog algo mais pessoal, pois como penso que poucos seguidores se importam com o conteúdo, acabo indo além do limite de publicar somente conteúdos de outrem. Como também tive pouco feedback dos vídeos que fiz, aqui se torna outro canal pra divulgá-los.
      Sim, faço/fiz cinema na UFF, estou quase terminando. Só falta entregar o TCC, que está quase concluído. Ele é sobre cinema experimental. E qual sua relação com cinema além da cinefilia? Fiquei curioso.
      Faz um tempo que não faço mais vídeos pois quebrei minha filmadora, mas mesmo assim continuei fazendo com imagens outras (como os gifs), mas faz +- 2 anos que não faço nada. Tomo o elogio como ponto de partida para pensar outros filmes, com certeza.
      Eu também devia manter uma periodicidade maior nos posts, tem vezes que fico um bom tempo sem postar.
      Se também tiver um blog ou iniciativa pessoal, me passe que visitarei com certeza.
      Sem me estender demais e mais uma vez, muito obrigado.
      Abraços

      1. olha, minha relação com cinema não vai muito além da cinefilia haha. Também estou terminando a faculdade, mas faço engenharia na puc-rio (não sou muito feliz com isso). Estou começando um estágio na produtora conspiração, e minha vontade é de continuar nessa área quando me formar.
        Muito legal o tema do seu TCC, poderia postar umas recomendações aqui! Ou o TCC mesmo quando estiver pronto. Vejo que revisou sua nota de síndrome e o século. Apichatpong foi uma das suas inspirações? Sou fã do cara…
        Vi também que tem dado atenção ao cinema português, encontrou uns filmes do manoel de oliveira que ainda não consegui ver nem baixar. Chegou a ver os filmes do Pedro Costa? principalmente da trilogia de fontainhas? Seria legal saber sua opinião sobre eles.
        quanto ao blog ou projeto pessoal, não tenho nada, nem facebook haha. mas quem sabe isso muda um dia.

      2. Legal que está na produtora. Também tenho vontade, mas não tive boas experiências em sets de filmagem, e minha relação com o cine é mais artesanal: fazer filmes sozinho e escrever. Mas tenho uns projetos para um futuro próximo.

        Recomendações de downloads dou-lhe essas duas coleções da Criterion Collection em especial, em torrent:

        http://www.torrentdownloads.me/torrent/1656032818/By+Brakhage+An+Anthlogy+Vol+1-2+1954-2003+CRITERION+COLLECTION+720p+BluRay+x264-PublicHD

        e

        http://www.torrentdownloads.me/torrent/1661248080/A+Hollis+Frampton+Odyssey+1966-1979+1080p+Criterion+Bluray+x264-GCJM

        As duas tem em volta de 20-30GB, e demora um pouco pra baixar. Mas a qualidade da imagem é magnífica, e são dois dos autores mais conhecidos do cinema experimental, Stan Brakhage e Hollis Frampton. Também teve uma revista dedicada ao cinema experimental recente:
        https://revistas.ufrj.br/index.php/eco_pos/issue/view/358/showToc

        Eu revi o Síndromes recentemente e vi que muita coisa tinha me escapado da primeira vez que vi. Percebi o quanto certo cinema contemporâneo (de fluxo) era rico em seu período mais fértil (fim dos anos 1990 até o fim dos anos 2000). 2 filmes recentes me remeteram a essa experiência: Kaili Blues (2015) e o Auge do Humano (2016). O próprio Cemitério do Esplendor foi um dos melhores filmes que vi ano passado.

        Aconselho-lhe a usar o fórum makingoff.org, é um fórum nacional que disponibiliza vários filmes com legenda. Quando abrir cadastro lhe mando email pra avisar.

        Quanto ao Manoel, eu já tinha visto sua filmografia recente, dos anos 90 até os últimos filmes, e só por esses já sabia o quão mestre ele era. Comprei um livro recentemente chamado “Manoel de Oliveira: novas perspectivas sobre a sua obra”, de 2013, organização da Carolin Overhoff Ferreira. Tem textos sobre os filmes antigos, e foi o pontapé para assisti-los, que me era uma lacuna. Ainda falta alguns, principalmente 2 da tetralogia: “Francisca, Amor de Perdição” e alguns longas avulsos. Ver os filmes com os textos ajuda a pegar partes importantes tanto da obra quanto do contexto de produção. A Caça (1963), por exemplo, era pra ser um dos últimos filmes dele, pois estava a tempos sem fazer filmes e foi difícil levantar a produção. Pena que não foi.

        Pedro Costa é um dos cineastas contemporâneos favoritos. Juventude em Marcha está entre meus 10 filmes favoritos. Caso interesse, aqui tem uma entrevista com ele (em inglês): http://bombmagazine.org/article/5506714/pedro-costa

        Pois é, até te procurei no facebook mas não achei. Mas se comentar por aqui responderei com o maior prazer.

        Abraço

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s