Crítica: A Rede Social (The Social Network) – David Fincher – 2010

A Rede Social trata-se de como se infiltrar, se adequar, tirar vantagem dos círculos sociais. Revela que há portas de entrada, senhas para determinados círculos; e que o não respeita às regras do jogo (no caso do Napster, no aproveitamento às idéias do grupo de remo e no desentendimento com seu “único amigo”) sofre decorrências – no caso multas, que tem valor apenas simbólico, não afetando o status de novo rei do mundo que Mark adquire.

A montagem rápida parece remeter à velocidade de nossa época, à rapidez dos diálogos e ao tema, internet/relações descartáveis. É o filme mais picotado de Fincher.

Revela um mal-estar do mundo (Seven, Zodíaco), em que a ética é posta de lado quando se trata de satisfação pessoal, mesmo que isso puna os outros. Nesse caso, não são explicadas as atitudes de Mark, são somente vistas em nuances do seu comportamento. Se preocupar mais no que tem a dizer e como soa. Está sempre afiado para dar uma tirada à altura.

Acaba por se tornar uma briga contra si e sua personalidade repulsiva, fazendo com que os outros se aproximem somente por interesse, o que certamente reflete padrões do mundo dos negócios. Assim, Mark é protagonista e antagonista, pois arma as armadilhas que irá cair: sua personalidade/desonestidade. Um estado ideal nunca parece possível para ele, fixo na idéia de obter mais usuários e não se importando com o que mais lhe prejudica, sua falta de exibir qualquer tipo de compaixão, companheirismo e amizade verdadeira. Sua ambição o faz esquecer de cultivar virtudes: quanto mais envolvido na empresa, menos envolvido consigo.

Mas o que diferencia Mark dos outros? Em essência, nada. Todos estão em busca dos seus objetivos, e as relações de poder que são construídas garantem a Mark vantagem busca do topo. A maior reflexão é: pra que se chegar ao topo se não se sabe o que se fazer lá? E o que adianta se o caminho tiver que ser tortuoso, destruindo sua alma, corrompendo-se?

12 Comentários to “Crítica: A Rede Social (The Social Network) – David Fincher – 2010”

  1. MTO BACANA! PASSA NO MEU BLOG: deudeu.wordpress.com

  2. Gostei do texto. Poderia falar de outros filmes do David Fincher, como o novo: Millenium.

  3. O seu blog é bom. Bem que poderia postar com mais frequência!

  4. O filme desmascara completamente o Mark. Recomendado!

  5. um dos melhores filmes do ano. ponto final.

  6. Muito legal saber que a criação do Facebook foi cheia de conflitos. Mesmo assim é a rede social do momento e do futuro. E a velocidade do mundo muda com isso.

  7. Muito muito muito bom.

  8. bons seus textos. favoritei seu blog. poste mais!
    beijos

  9. Odeio a montagem tesourinha. No mais, acho um bom filme, bem filmado.

  10. Legal um filme sobre o Facebook. Sou viciada nessa rede social. Não acho que vai ficar obsoleta como o orkut.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s